Artigos

Artigos

Por:
Publicado em 19/06/2017 - Atualizado 07/02/2019

A atividade física influencia na fertilidade masculina?

A atividade física influencia na fertilidade masculina?

A prática regular de exercícios físicos de alta intensidade melhora a qualidade do sêmen, influenciando positivamente na fertilidade masculina. A conclusão preliminar é de um estudo feito na Espanha pelo Instituto Valenciano de Infertilidade (Ivi) e apresentado no 32º Congresso Europeu de Reprodução Humana e Embriologia.

Para desenvolver o estudo, foram acompanhados homens entre os 18 e 35 anos de idade. Portanto, as constatações aplicam-se predominantemente a essa faixa etária, já que não há evidências quanto ao fato de a prática rotineira de atividade física ter o mesmo efeito em homens acima dos 35 anos.

Mesmo assim, a pesquisa espanhola demonstra que é válido realizar algum exercício físico, de qualquer nível, ao menos três vezes por semana, pois, além de fazer parte de um estilo de vida saudável, a prática gera efeitos positivos sobre a fertilidade masculina.

Associação da atividade física com a fertilidade masculina

As considerações levantadas pelo estudo, de certa forma, lançam uma nova perspectiva sobre a percepção de que a atividade intensa é prejudicial para a fertilidade do homem. Pelo contrário, a pesquisa associa a melhora da qualidade do sêmen à prática de exercícios físicos.

Para muitos casais com dificuldades para engravidar e que buscam orientação sobre como aumentar as chances de tornarem-se pais, os médicos detêm poucas evidências para determinar qual deve ser o nível dos exercícios físicos para recomendar uma mudança de hábitos na rotina da prática da atividade. Atualmente, acredita-se que são as atividades físicas de extrema intensidade que prejudicam a fertilidade masculina e é isso que precisa ser muito bem avaliado pelo médico.

Quando não favorecerem a fecundidade, os exercícios físicos pelo menos protegerão o homem da infertilidade, tornando maior a possibilidade de o casal engravidar, de acordo com outro estudo, da Universidade de Harvard (EUA). A pesquisa identificou maior concentração de espermatozoides no sêmen daqueles que faziam atividades ao ar livre ou musculação em comparação com os que não dedicavam tempo a nenhum exercício físico.

De acordo com o estudo americano, a única modalidade que não é totalmente benéfica para a saúde reprodutiva masculina é o ciclismo. Em homens que a praticavam, a concentração de espermatozoides observada era menor que a dos que faziam outros esportes.

A quantidade de espermatozoide presente em cada mililitro de sêmen é a medida mais usual para definir se o homem detém uma boa saúde reprodutiva. As causas do problema podem ser investigadas pelo médico andrologista.

É importante agendar uma consulta com um especialista sempre que o homem estiver interessado em tornar-se pai para fazer uma avaliação geral do seu estado de saúde e receber as orientações adequadas para obter sucesso na gravidez.

Fonte:

//veja.abril.com.br/saude/atividade-fisica-ajuda-a-proteger-a-fertilidade-masculina/

//www.segs.com.br/saude/23629-atividade-fisica-melhora-a-qualidade-do-semen-revela-estudo-do-instituto-valenciano-de-infertilidade-ivi.html

 

Material escrito por:
- Urologista - CRM 9576 RQE 6654

Dr. Jovânio é formado em medicina pela UFPel, é especialista em reprodução humana pela Unifesp. É membro da Sociedade Brasileira de Urologia e Membro da Sociedade Internacional de Medicina Sexual. Entre 2013 e 2018 foi Conselheiro Suplente do CRM-SC. Seus principais interesses são a andrologia, medicina sexual e reprodução humana.