Artigos

Artigos

Por:
Publicado em 29/09/2015 - Atualizado 07/02/2019

Câncer de próstata tem cura?

Câncer de próstata tem cura?

O câncer de próstata é o tumor maligno mais comuns nos homens e afeta uma quantidade significativa daqueles que têm mais de 50 anos. Conforme a idade vai aumentando, as chances de desenvolver a doença também crescem. Cerca de 50% dos homens com mais de 80 anos sofre com esse tipo de tumor, como relata o livro  “Próstata: isso é com você”, do médico urologista Miguel Srougi.

No Brasil, mesmo com tantos casos (são diagnosticados cerca de 69 mil homens anualmente, segundo o INCA), falar sobre esse assunto ainda é difícil em função do preconceito cultural, já que a maioria dos homens rejeita a ideia de fazer os exames preventivos, principalmente o de toque retal.

Prevenção

Uma das características deste tipo de câncer é não apresentar qualquer sintomas na fase inicial, momento no qual as chances de cura são maiores. Por esse motivo os médicos alertam sobre a prevenção com cuidados gerais em relação à saúde, como optar por uma dieta com menos ingestão de gorduras e açúcar, praticar atividade física com regularidade e realizar um check up frequente. Com esses cuidados a qualidade de vida melhora e o acompanhamento médico previne o paciente em relação ao possível surgimento do tumor ou de uma outra manifestação de alteração na próstata, como a Hiperplasia Prostática Benigna (HPB) (baixe nosso e-book sobre o assunto).

Fatores de risco: A hereditariedade

Quando o homem tem na família outros casos de câncer de próstata, o acompanhamento deve ser feito ainda mais cedo, a partir dos 40 anos, já que a hereditariedade é um dos fatores de risco para a doença. Ter um pai ou irmão que descobriu o tumor antes dos 60 anos é um dos motivos para ficar alerta e realizar o acompanhamento precoce.

Campanhas para conhecimento

As campanhas de conscientização para a prevenção, como é o caso das ações realizadas durante o “Novembro Azul”, são uma oportunidade que os serviços de saúde têm de falar sobre o assunto e alertar os homens e seus familiares. A falta de informação prejudica no diagnóstico precoce e no tratamento, por isso os médicos buscam alertar a sociedade para a prevenção.

Tratamento

O planejamento do tipo de tratamento, e possível cura do câncer de próstata, será determinada pelo médico Urologista de acordo com dois fatores: expectativa de vida do paciente e extensão da doença. Quando o homem já está debilitado, em função do câncer de próstata ou de outros fatores, o tratamento poderá ser administrado com terapias mais simplificadas, como por exemplo, a observação regular da doença ou a ingestão de hormônios.

Já quando o paciente estiver bem de maneira geral e apresentar chances elevadas de viver por pelo menos mais uma década, podem ser adotados tratamentos mais agressivos, e mais eficientes, como a cirurgia ou a radioterapia. Assim, tudo vai depender das condições gerais de saúde e de como a doença afetou este homem.

Evitando danos

Outro motivo para a importância da prevenção e diagnóstico precoce do tumor é realizar o tratamento precoce para que outros órgãos não sejam afetados. Ele impede que essas células doentes se espalhem para outros órgãos, pois quando apenas a próstata for atingida, o tratamento será mais eficiente e menos danoso para o paciente, aumentando assim as chances de cura.

E a cura?

Assim como em outros casos de câncer, o que determina a cura da doença é o estágio em que foi diagnosticada e a resposta do organismo ao tratamento, mas é possível afirmar sim, que existe cura para esse tipo de tumor maligno. Sendo assim, faça sua parte e cuide da sua saúde: cultive bons hábito em sua vida, tenha uma alimentação balanceada, faça atividade física, não fume e visite regularmente seu médico.

 

Material escrito por:
- Urologista - CRM 8402 RQE 4270

Formado em medicina pela UFSC, o Dr. Luís Felipe Piovesan é especialista em urologia pela Fundació Puigvert, Barcelona, e doutor em urologia pela USP. É coordenador científico do Hospital Governador Celso Ramos e foi vice-presidente da Sociedade Brasileira de Urologia, secção SC. Seus principais interesses são a urologia oncológica e tumores urológicos.   Ver Lattes