Artigos

Artigos

Por: - Urologista - CRM/SC 12492 RQE 10675
Publicado em 25/02/2015 - Atualizado 07/02/2019

Câncer de próstata: tipos de tratamento e prognóstico

Câncer de próstata: tipos de tratamento e prognóstico

Após o diagnóstico de câncer de próstata, começa um segundo passo muito importante para a cura ou controle da doença, que é a definição do tratamento. As chances de cura, determinadas pelas respostas do organismo e do tumor ao tratamento, vão depender do diagnóstico precoce da doença e do tratamento indicado para cada paciente.

Para saber o tipo de tratamento a que o paciente deverá ser submetido é preciso antes saber o estágio do câncer. A partir da graduação histológica (grau de agressividade do tumor), que é um estudo comparativo das células neoplásicas, bem como os níveis do PSA e o nível de extensão da doença é possível definir as opções de tratamento a serem indicados.

Estágios do câncer de próstata

Os tumores podem ser classificados em uma escala que vai do estágio I ao IV. Nessa escala, quanto maior o nível, mais volumoso e avançado é o câncer.

Confira os estágios dos tumores:

Estágio I – O tumor se mantém localizado na próstata e ainda não comprometeu os nódulos linfáticos e outros órgãos.
Estágio II – O tumor se mantém com as mesmas características do estágio I, apenas com um maior número de células com câncer.
Estágio III – O tumor já não está localizado apenas na próstata, podendo já ter atingido as vesículas seminais, porém ainda não alcançou os gânglios linfáticos ou outros órgãos.
Estágio IV – Pode apresentar uma ou mais condições a seguir:
– O câncer pode ter se espalhado para tecidos próximos, que não as vesículas seminais, como para os músculos que atuam no controle urinário, reto ou a parede da pelve;
– O câncer já chegou ao gânglios linfáticos;
– O câncer se espelhou para partes mais distantes, como ossos ou outros órgãos;

Tratamentos para o câncer de próstata

As chances de cura, os riscos e o prognóstico dependem de cada caso. As pessoas respondem de maneira individual aos tratamentos.

Os tratamentos do câncer de próstata devem ser individualizados e levar em conta algumas características de cada paciente, como idade, grau histológico do tumor, o estágio do tumor, o tamanho da próstata, expectativa de vida, entre outros fatores determinantes, bem como os recursos técnicos disponíveis. Confira os tipos de tratamento para cada estágio do câncer de próstata:

1 – Vigilância ativa: quando o paciente é observado de perto e o tratamento é iniciado somente quando necessário, ou seja, se o tumor se torna mais agressivo. Evita os efeitos colaterais que as demais modalidades de tratamento podem trazer. Entretanto, só se indica nos casos de tumores muito pouco agressivos, chamados de indolentes.

2 – Cirurgia radical: trata-se da remoção total da próstata através de cirurgia (prostatectomia radical). É indicada preferencialmente para tratar o câncer que se localiza dentro da glândula da próstata. Pode ser realizada por via aberta, laparoscópica ou robótica e oferece as maiores chances de cura.

3 – Radioterapia:
 o tratamento consiste na utilização de uma radiação de alta energia (raios-X) para matar as células cancerosas. Pode ser liberada por uma máquina ou ainda através de sementes radioativas implantadas na próstata (braquiterapia).

4 – Terapia hormonal: reduz o nível dos hormônios masculinos (testosterona) que estimulam o crescimento do tumor. A terapia hormonal pode ser de três tipos: injeções, cirurgia ou comprimidos, e está indicada nos casos de tumores avançados ou junto com algum tratamento local, como a radioterapia ou a cirurgia, em casos de doença agressiva.

5 – Terapia multimodal: para tratamento de pacientes com tumores agressivos e além dos limites da próstata, combina mais de uma modalidade de tratamento.

6 – Bisfosfonatos: utilizados por homens com câncer de próstata que já tenha se espalhado pelos ossos ou fortalecendo os mesmos contra o enfraquecimento causado pela terapia hormonal. Não trata o câncer, mas ameniza os sintomas.

7 – Quimioterapia: esse tipo de tratamento com drogas específicas, capazes de destruir as células do câncer, é feito em homens que possuem câncer de próstata que já se espalhou pelo organismo e que não respondem mais ao tratamento hormonal.

Não existem ainda tratamentos que reduzam o risco do surgimento de um câncer de próstata, entretanto se a doença tiver um diagnóstico precoce, existe uma altíssima probabilidade de cura. A prevenção atual tem como objetivo a descoberta precoce e reduzir o risco do câncer avançar, para ter maiores chances de cura. Por isso a importância de exames como do toque retal e o exame de sangue (PSA), que podem descobrir a doença precocemente. Vale lembrar que uma dieta equilibrada associada a hábitos saudáveis de vida representam uma proteção contra a doença.

 

Material escrito por:
- Urologista - CRM/SC 12492 RQE 10675

Dr. Ricardo Kupka é formado em medicina pela UFSC. Especialista em urologia e cirurgia geral no Hospital Governador Celso Ramos. Realizou fellowship em Uro-Oncologia pela USP e Hospital Sírio Libanês, e o doutorado em Urologia na USP. É membro da NeuUro - Núcleo de Estudos em Onco-urologia da Uromed. Seus principais interesses são urologia oncológica e tumores urológicos.   Ver Lattes