Artigos

Artigos

Por:
Publicado em 05/07/2019

Conheça os riscos da infecção urinária na gravidez

Conheça os riscos da infecção urinária na gravidez

 

A infecção urinária, também chamada de Infecção do Trato Urinário (ITU), é uma enfermidade que atinge qualquer parte do sistema urinário – contemplando rins, ureteres, bexiga e uretra – com a presença anormal de patogênicos. Os principais sintomas são dor e ardência ao urinar, porém, se não tratada da maneira adequada, esses problemas podem ser agravados, sendo, cada vez mais, difícil o tratamento.

Ouça este conteúdo:

 

A incidência da doença é mais comum em mulheres, sendo bastante comum a infecção urinária na gravidez.

Para se ter uma ideia da seriedade do problema entre as grávidas, de acordo com o Ministério da Saúde, cerca de 17% a 20% das gestações apresentam alguma complicação devido à ITU. Os principais problemas decorrentes da infecção urinária na gravidez são:

  • ruptura prematura de membranas ovulares;
  • trabalho de parto prematuro;
  • corioamnionite – uma infecção do líquido amniótico;
  • febre no pós-parto;
  • sepse materna;
  • infecção neonatal.

Quais os sinais da infecção urinária na gravidez?

Os sintomas da infecção urinária na gravidez são os mesmos que acometem não grávidas:

  • ardência e dor ao urinar;
  • incômodo na região pélvica e
  • febre.

A incidência de casos de ITU durante a gestação está associada ao aumento da circulação sanguínea na região pélvica, fazendo com que a umidade vaginal também cresça e, como consequência, é mais fácil a passagem de bactérias do ânus para a uretra.

Por esse motivo, cerca de 80% dos casos de infecção urinária na gravidez estão identificados com a bactéria Escherichia coli, integrante da flora intestinal.

Em muitos casos, pode ser difícil perceber a presença da infecção urinária. Por esse motivo, é essencial que as mulheres grávidas façam exames rotineiros com seus obstetras, que poderão indicar a visita a um uroginecologista para que não haja complicações de saúde nem com a mãe, nem com o feto.

Além dos problemas com a própria mãe, outras ocorrências podem acometer os bebês. Ou seja, o problema da infecção urinária na gravidez é algo sério, que precisa se atenção. Alguns outros riscos para o bebê incluem:

  • Diminuição do crescimento intra-uterino;
  • Baixo peso ao nascer;
  • Pneumonia;
  • Asma na infância;
  • Aborto espontâneo.

Como prevenir a infecção urinária na gravidez?

O primeiro passo para a prevenção da infecção urinária na gravidez é manter todos os exames em dia. Em qualquer caso de suspeita, deve-se procurar um médico imediatamente, para que todos os sintomas sejam avaliados, bem como o quadro clínico da gravidez.

Além disso, é possível se prevenir com hábitos simples. Anote:

  • Não segure a urina por muito tempo, especialmente, após ter relações sexuais.
  • Use o papel higiênico no sentido de frente para trás, não o contrário (isso evita que as bactérias do ânus se espalhem).
  • Faça a higiene íntima todos os dias e logo após as relações sexuais.
  • Use sabonetes suaves e sem perfume.
  • Mantenha uma alimentação saudável e beba bastante água.

Vale lembrar que somente um especialista é capaz de atestar a presença ou não de agentes infecciosos no trato urinário. Para evitar complicações, também recomenda-se que a grávida não faça a automedicação ou realize tratamentos caseiros, já que essas ações podem trazer riscos para todo o processo de gestação e para o bebê.
Conheça nossa Equipe de Uroginecologia e Urologia Feminina e agende sua consulta.

 

Material escrito por:
- Urologista - CRM 9576 RQE 6654

Dr. Jovânio é formado em medicina pela UFPel, é especialista em reprodução humana pela Unifesp. É membro da Sociedade Brasileira de Urologia e Membro da Sociedade Internacional de Medicina Sexual. Entre 2013 e 2018 foi Conselheiro Suplente do CRM-SC. Seus principais interesses são a andrologia, medicina sexual e reprodução humana.