Artigos

Artigos

Por:
Publicado em 20/04/2015 - Atualizado 07/02/2019

Entenda como ocorre e como prevenir o câncer de bexiga

Entenda como ocorre e como prevenir o câncer de bexiga

De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA), pelo menos oito mil novos casos de câncer de bexiga surgem todos os anos. Apesar de acometer ambos os sexos, a incidência é maior entre os homens.

A seguir, você vai encontrar informações sobre como a doença se manifesta, quais são os principais sintomas e os fatores de risco. Vamos apontar também o que pode ser feito para prevenir o crescimento desordenado de células que acarretam no desenvolvimento da doença.

Tipos de Câncer de Bexiga

O câncer de bexiga pode se manifestar de três diferentes formas. A classificação varia de acordo com o tipo de célula alterada.

  • Adenocarcinoma: as primeiras manifestações ocorrem nas células secretoras ou glandulares. O surgimento dos primeiros sintomas pode estar ligado a um longo período de infecção ou inflamação não tratada.
  • Carcinoma de células de transição: essa é a manifestação mais comum da doença. São afetadas as células dos tecidos mais internos da bexiga.
  • Carcinoma de células escamosas: esse tipo de câncer de bexiga também é decorrente de infecções ou irritações prolongadas que não receberam o tratamento adequado. Neste caso, as células afetadas são delgadas e planas.

Principais sintomas

Ao prestar atenção nos sintomas mais comuns, é possível tratar o câncer de bexiga com bastante êxito. Dores nas costas, sensação de cansaço e fadiga, bem como perda de peso acentuada estão associados ao desenvolvimento de células cancerígenas no órgão.

Além dos sinais apresentados acima, preste atenção em três fatores ao urinar:

  • Presença de sangue no líquido expelido.
  • Perda involuntária de urina, também chamada de incontinência urinária.
  • Dores na hora de urinar.

Caso alguma das ocorrências acima seja observada e, principalmente, se não ocorrer uma melhora durante um longo período de tempo é recomendada a procura imediata de um médico urologista.

Formas de prevenir

As investigações cientificas ainda não precisaram os motivos pelos quais as células cancerígenas se desenvolvem na região da bexiga. Ainda assim, é possível associar algumas práticas ao aumento da chance de a doença se manifestar.
Tabagismo, exposição à radiação, infecções parasitárias e quadros frequentes de infecção urinária são alguns dos fatores de risco.

As recomendações para prevenir o câncer de bexiga não diferem daquelas feitas em relação às manifestações da doença em outros órgãos. A prática diária de atividade física, uma dieta equilibrada rica em fibras, vitaminas e minerais e a redução do consumo de gorduras de origem animal estão associados a um baixo risco de reproduzir células cancerígenas.

Entre os homens com mais de 40 anos, a orientação é de que seja feito um acompanhamento médico regularmente. Só assim é possível detectar os sintomas que não se manifestam por meio de estímulos externos perceptíveis.
As chances de recuperação e tratamento são consideradas bastante satisfatórias nos casos em que doença é detectada nos primeiros estágios, principalmente quando a intervenção cirúrgica ainda é possível.

Quando mais avançado o quadro, menores de um tratamento efetivo. Daí a importância de consultar o médico pelo menos uma vez ao ano ou ao apresentar os primeiros sinais de alterações no funcionamento do sistema urinário.

Vale destacar que não fumar ou parar de fumar é a medida mais importante na prevenção do câncer de bexiga.

 

Material escrito por:
- Urologista - CRM 5179 RQE 9107

Membro da equipe do NeoUro – Núcleo de Estudos em Onco-urologia Graduação em medicina pela Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC (1989). Residência médica em urologia pelo Hospital Governador...   Ver Lattes