Artigos

Artigos

Por:
Publicado em 21/12/2015 - Atualizado 07/02/2019

Homens também podem precisar de reposição hormonal?

Homens também podem precisar de reposição hormonal?

Sim, homens também podem precisar de reposição hormonal porque os níveis de testosterona começam a diminuir no organismo masculino a partir dos 30 anos. Mas os homens só desconfiam da redução da quantidade do hormônio no corpo quando aparecem os primeiros sintomas que provocam a procura por ajuda médica para entender o que está acontecendo.

A menor produção do hormônio masculino geralmente é sentida por cerca de 15% dos homens entre 50 e 60 anos e por 50% ou mais dos homens com 80 anos. É denunciada por sintomas como declínio do interesse sexual, dificuldade de ereção, falta de concentração e capacidade intelectual, perda de pelos, ganho de peso à custa de gordura, diminuição de massa e força muscular, irritabilidade e insônia, entre outros.

Como os sintomas não são específicos e se assemelham aos de outras doenças, nem sempre significam que há deficiência de testosterona. No entanto, demonstram que algo em relação à saúde não vai bem, tornando importante uma consulta com o médico urologista para diagnóstico e tratamento.

Há risco de infertilidade?

O profissional vai esclarecer dúvidas como as relacionadas à fertilidade, por exemplo. Na mulher, a necessidade de reposição hormonal indica a chegada da menopausa e o fim do período fértil. Para os homens, a diminuição lenta e gradual dos níveis de testosterona representa apenas uma queda na fertilidade. Isso quer dizer que o homem permanece fértil, porém eventualmente em menor grau.

Assim como na mulher que faz reposição hormonal o tratamento não devolve à ela a fertilidade, também no homem a reposição hormonal não devolve os índices de fertilidade perdidos, apenas ameniza os sintomas.

Quando é indicado ao homem a reposição hormonal?

A Terapia de Reposição Hormonal Masculina é prescrita a todos os homens que apresentam sintomas relacionados à queda hormonal e que não fazem parte do grupo para o qual o tratamento é contraindicado. Ela pode ser administrada através de gel, adesivos cutâneos ou injeções.

Para saber se o homem que apresenta alguma das queixas descritas precisa realmente da terapia é necessário comprovar a queda da taxa hormonal. A confirmação é feita por intermédio dos exames laboratoriais solicitados pelo médico que investiga o caso.

É ele, também, o responsável por definir com o paciente a melhor alternativa de tratamento, bem como avaliar se o mesmo pertence a algum grupo de risco para a Terapia de Reposição Hormonal Masculina. Para homens com suspeita ou diagnosticados com câncer de próstata ou de mama masculina a reposição não é indicada ou é realizada de forma muito controlada. Portanto, voltamos a frisar que o acompanhamento médico durante o tratamento é primordial para a segurança do paciente.

Quando bem indicada e acompanhada pelo médico, a reposição hormonal traz benefícios aos homens, como melhora da libido, perda de peso, aumento da massa muscular e da densidade óssea. Agora, se o propósito é retardar ou impedir o aparecimento da deficiência de testosterona e seus sintomas, antes é preciso saber como a redução do hormônio afeta os homens. Explicamos neste artigo.

 

Material escrito por:
- Urologista - CRM 8402 RQE 4270

Formado em medicina pela UFSC, o Dr. Luís Felipe Piovesan é especialista em urologia pela Fundació Puigvert, Barcelona, e doutor em urologia pela USP. É coordenador científico do Hospital Governador Celso Ramos e foi vice-presidente da Sociedade Brasileira de Urologia, secção SC. Seus principais interesses são a urologia oncológica e tumores urológicos.   Ver Lattes