Artigos

Artigos

Por:
Publicado em 08/06/2017

Reversão da vasectomia: o que é preciso saber antes da cirurgia

Reversão da vasectomia: o que é preciso saber antes da cirurgia

Alguns homens optam por fazer a cirurgia de reversão da vasectomia tempos depois de ter se submetido à vasectomia, que é o procedimento realizado para interromper o trânsito dos espermatozoides dos testículos até o pênis. Essa decisão pode ter diversos motivos. O mais frequente deles é o desejo de ter outro (ou o primeiro) filho.

Em geral, a reversão da vasectomia tem uma alta taxa de sucesso e é uma alternativa para os casais que desejam que a gravidez ocorra naturalmente, sem nenhum tipo de intervenção. Antes de realizá-la, porém, o urologista precisa analisar cada caso individualmente, pois a chance de a reversão ser bem-sucedida está relacionada ao tempo que transcorreu entre a vasectomia e a cirurgia para desfazê-la.

De acordo com dados da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), alcançam-se melhores resultados com a reversão da vasectomia quando o intervalo entre os procedimentos é curto (de três anos, no máximo). A possibilidade de a mulher engravidar, consequentemente, é maior nos casos em que o tempo transcorrido entre a vasectomia e a reversão é menor que 36 meses.

Além disso, há outros fatores que colaboram para que a reversão da vasectomia dê certo:

  • o emprego correto da técnica cirúrgica na realização da vasectomia;
  • a utilização de um método adequado na cirurgia de reversão;
  • a experiência do urologista com este tipo de operação;
  • a verificação da presença de espermatozoides nos canais deferentes no momento do procedimento.

Como é feita a cirurgia de reversão da vasectomia

Para reverter a vasectomia, geralmente, o urologista opta por uma abordagem cirúrgica minimamente invasiva. O tempo total de duração do procedimento para a recanalização dos canais deferentes, cortados na vasectomia, é de, aproximadamente, quatro horas. A operação é feita em ambiente cirúrgico, com o paciente anestesiado, e é considerada de pequeno porte e de rápida recuperação para o paciente.

Após a reversão, o homem precisa permanecer dois dias em repouso e só pode voltar a dirigir depois de uma semana. Transcorridos 15 dias da cirurgia, ele já pode relacionar-se sexualmente de maneira habitual. O retorno à prática desportiva é liberado em cerca de um mês. Andar de bicicleta é permitido, somente, a partir do segundo mês. Por 90 dias, andar em motocicletas e montar a cavalo não está autorizado.

Reverter a vasectomia só não é possível nos casos em que a cauterização ou o corte feito para interromper a passagem dos espermatozoides tenham sido muito extensos e não deixaram margem para possibilitar o religamento dos canais deferentes.

 

Material escrito por:
- Urologista - CRM 9576 RQE 6654

Graduação em Medicina pela UFPel – Universidade Federal de Pelotas, Pelotas – RS (2001) Residência Médica em Cirurgia Geral pelo HSJ – Hospital São José, Criciúma – SC (2003) Residência...