Artigos

Artigos

Por: - Urologista - CRM/SC 12492 RQE 10675
Publicado em 20/03/2017 - Atualizado 07/02/2019

Conheça alguns tumores renais benignos

Conheça alguns tumores renais benignos

As pessoas costumam sentir-se aliviadas quando descobrem que o tumor encontrado em seu organismo é benigno. De fato, eles são menos agressivos e, na maioria dos, casos não merecem preocupação. Em geral, tanto os tumores renais benignos quanto os malignos são assintomáticos no estágio inicial e são diagnosticados em virtude de exames realizados por outros motivos. Nos casos descobertos devido à presença de sintomas, como sangue na urina (hematúria), dores abdominais ou emagrecimento acentuado, a doença tem uma chance significativa de encontrar-se em estágio mais avançado.

Conheça os principais tipos de tumores renais benignos

Um dos tumores renais mais comuns é o adenoma renal. Costuma ser pequeno e se desenvolver lentamente. Geralmente, é identificado quando o paciente realiza exames de imagem solicitados para a definição do diagnóstico de outras doenças. Raramente, o adenoma se transforma em um carcinoma de células renais (tumor maligno).

Mas, nem sempre é fácil diferenciar um tumor renal benigno de um maligno apenas baseando-se em exames de imagem (como ultrassonografia e tomografia). O oncocitoma, apesar de benigno, por vezes é descoberto após procedimento cirúrgico, tendo em vista sua semelhança com casos de tumores malignos.

Os angiomiolipomas também são tumores renais benignos, composto por diversos tipos de tecidos diferentes (tecido conjuntivo, vasos sanguíneos, músculos e gordura). Esse tipo de tumor, em sua maioria, merece tratamento conservador. É necessário atenção e tratamento intervencionista quando atingem volumes exacerbados (geralmente maiores que sete centímetros de diâmetro), o que felizmente é muito incomum.

Como são tratados os tumores renais benignos

Muitos casos de tumores renais benignos podem ser tratados da mesma forma que os tumores malignos: com nefrectomia radical (retirada total do rim), nefrectomia parcial (remoção de parte do rim), ablação por radiofrequência ou embolização arterial. Somente após a extração cirúrgica é possível determinar se o tumor é benigno ou maligno de maneira definitiva. Pelos exames de imagem, geralmente, não há como indicar a natureza do tumor. Exceção à regra é o angiomiolipoma, que consegue ser visto e diagnosticado por métodos de imagem como ultrassom, tomografia e/ou ressonância.

Os fatores mais associados ao surgimento de tumores renais são o tabagismo, a hipertensão arterial e a obesidade. Portanto, a melhor forma de evitá-los é não fumar, cuidar da pressão arterial e do peso, além de seguir a dica de sempre alimentar-se corretamente e praticar exercícios físicos. É tudo o que basta para manter-se saudável e longe de doenças, inclusive das mais graves.

 

Material escrito por:
- Urologista - CRM/SC 12492 RQE 10675

Dr. Ricardo Kupka é formado em medicina pela UFSC. Especialista em urologia e cirurgia geral no Hospital Governador Celso Ramos. Realizou fellowship em Uro-Oncologia pela USP e Hospital Sírio Libanês, e o doutorado em Urologia na USP. É membro da NeuUro - Núcleo de Estudos em Onco-urologia da Uromed. Seus principais interesses são urologia oncológica e tumores urológicos.   Ver Lattes