Artigos

Artigos
21 de julho de 2015

Na prevenção do câncer de próstata não há lugar para o preconceito

Na prevenção do câncer de próstata não há lugar para o preconceito

A falta de hábitos de prevenção entre os homens e a cultura preconceituosa em relação ao exame do toque retal faz com que os números de mortes devido ao câncer de próstata no Brasil cresçam anualmente. De acordo com os dados da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), 40% dos homens em idade de risco para o câncer de próstata nunca consultaram com um médico urologista.

Prevenção

A avaliação médica de rotina com o urologista, os exames do toque retal e a dosagem no sangue do PSA são condutas determinantes para o diagnóstico precoce do câncer e aumentam as chances de sucesso no tratamento. Essa vigilância é importante porque o câncer de próstata não apresenta sintomas, sendo uma doença silenciosa. Por isso, associar o toque retal à dosagem sanguínea do PSA é fundamental para se descartar a presença de um câncer em fase inicial.

Importância do exame de toque

A consistência da próstata normal ao toque retal é muito parecida com a consistência da ponta do nariz. Os células cancerígenas costumam endurecer a próstata, o que se torna facilmente perceptível para o médico durante o exame. Quando o urologista identifica a presença de uma estrutura rígida no meio do tecido macio da próstata, juntamente com o resultado de testes laboratoriais, consegue tomar a decisão de como proceder em cada caso.

Quando começar o controle

A partir dos 50 anos, o exame do toque deve ser feito uma vez ao ano. Os homens que têm um estilo de vida sedentário e com alimentação rica em gordura animal apresentam maiores chances de desenvolver o câncer de próstata. Pessoas do grupo de risco devem fazer o exame a partir dos 40 anos. Este grupo inclui homens com histórico da doença na família (pais e irmãos) e os descendentes de negros. Pai ou irmão com câncer de próstata antes dos 60 anos pode aumentar o risco de se ter a doença de 3 a 10 vezes comparado à população em geral, podendo refletir tanto fatores genéticos (hereditários) quanto hábitos alimentares ou estilo de vida de risco de algumas famílias.

Prevenção

Entre os homens, o tumor de próstata é o segundo que mais mata, perdendo apenas para o de pulmão. Para a prevenção do câncer de próstata os homens devem manter uma dieta rica em frutas, verduras, legumes, grãos e cereais integrais e com menos gordura e, principalmente, as de origem animal. A atenção com uma nutrição adequada ajuda a diminuir o risco de câncer e também evita outras doenças crônicas.

Nesse sentido, outros hábitos saudáveis também são recomendados, como fazer, no mínimo, 30 minutos diários de atividade física, manter o peso adequado à altura, diminuir o consumo de álcool e não fumar. Contudo, nada disso substitui o acompanhamento médico, os exames de sangue e toque. Informe-se e consulte um urologista regularmente.