Artigos

Artigos

Por:
Publicado em 19/08/2015 - Atualizado 07/02/2019

Como doenças neurológicas influenciam no surgimento da incontinência urinária

Como doenças neurológicas influenciam no surgimento da incontinência urinária

Várias doenças neurológicas como esclerose múltipla; lesões da medula espinal; sequelas de acidente vascular cerebral (AVC); doença de Parkinson, Mal de Alzheimer e outras demências podem afetar o trato urinário inferior e resultar em Disfunções miccionais, como incontinência urinária, retenção urinária e hiperatividade da bexiga.

A Uroneurologia é a área de atuação da Urologia que diagnostica, avalia e trata as doenças do sistema nervoso com repercussões no sistema gênito-urinário, estudando os fatores responsáveis pelas condições que causam as disfunções miccionais.

Bexiga neurogênica

A função da bexiga é armazenar e eliminar a urina em intervalos regulares de tempo. Essa capacidade de controle é exercida pelo cérebro e pela medula espinhal, portanto, quando um paciente sofre lesões nessas áreas pode desenvolver disfunções miccionais, que são conhecidas como bexiga neurogênica.

Pacientes portadores de doenças neurológicas frequentemente apresentam sintomas urinários como o aumento da frequência das micções (polaciúria), desejo súbito e imperioso de urinar (urgência miccional) que pode estar acompanhado de perdas de urina (incontinência urinária de urgência) e a necessidade de levantar à noite para urinar (noctúria). Outros sintomas ainda podem estar presentes, como dificuldade para iniciar a micção, jato urinário fraco e interrompido ou a sensação de esvaziamento incompleto da bexiga.

Outros distúrbios

Existem outras doenças neurológicas menos comuns que também podem causar problemas urológicos, como alterações do sistema nervoso sensorial, levando a sensação de dor ao urinar (disúria) ou aumento da frequência urinária (polaciúria). É o caso da Síndrome da Bexiga Dolorosa, também conhecida por Síndrome da Dor Pélvica ou Perineal Crônica.

Complicações

A ocorrência dessas disfunções miccionais interferem de maneira significativa na qualidade de vida dos pacientes, que passam a conviver com a insegurança e receio da incontinência urinária. Em muitos casos acreditando que devem ingerir menos líquidos para evitar o problema alguns pacientes acabam prejudicando a saúde, com riscos de desidratação, além de poder provocar o surgimento de cálculos renais e infecções urinárias.

Cuidado médico

O Urologista dedicado na área de Uroneurologia é o médico que realiza o diagnóstico e o tratamento adequado em cada caso. Os objetivos do tratamento da bexiga neurogênica são a preservação do bom funcionamento dos rins, controle das infecções urinárias e, consequentemente, a melhora da qualidade de vida.

Tratamento

O tratamento pode ser realizado através de terapias comportamentais, fisioterapia do assoalho pélvico, medicamentos, injeção de substâncias diretamente na bexiga ou cirurgia nos casos mais avançados. A ferramenta diagnóstica mais importante nesses quadros é o Estudo Urodinâmico, exame indispensável para avaliar o funcionamento do trato urinário inferior.

Se você é parente ou cuidador de um paciente com doenças neurológicas que apresente problemas relacionados ao aparelho urinário deve procurar um Urologista para avaliar e tratar desses distúrbios.

Para saber mais sobre assuntos relacionados aos cuidados urológicos acompanhe as publicações da UROMED.

 

Material escrito por:
- Urologista - CRM 4265 RQE 1147

Diretor Técnico na Uromed, o Dr. Waltamir Horn Hülse é formado em medicina pela UFSC e especialista em urologia pelo Hospital Governador Celso Ramos. É membro da Sociedade Brasileira de Urologia, da Associação Brasileira do Assoalho Pélvico e da International Continence Society Seus principais interesses são a uroginecologia e urologia feminina.