Artigos

Artigos

Por:
Publicado em 03/10/2019

Como o câncer de rim pode ser combatido

Como o câncer de rim pode ser combatido

câncer de rim ocupa o terceiro lugar no ranking de enfermidades mais frequentes do aparelho genitourinário, representando aproximadamente 3% das doenças malignas em adultos. Segundo dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA), cerca de 6.270 novos casos de câncer de rim foram diagnosticados no ano de 2018, com uma incidência maior entre os homens (3.760 em homens e 2.510 em mulheres).

Ouça este conteúdo:

 

O câncer de rim, também chamado de Carcinoma de Células Renais (CCR), ocorre com a transformação das células dos túbulos que formam os néfrons (responsáveis pela filtração e formação da urina), com multiplicação anormal, originando o tumor. A maioria dos pacientes não apresenta sintomas relacionados ao câncer de rim, sendo que apenas 5% das pessoas relatam incômodos ou anormalidades. Por conta disso, a taxa de mortalidade dos pacientes é alta, pois o diagnóstico só é feito nos estágios avançados da doença.

Diante disso, é importante manter uma periodicidade de exames clínicos para verificar a saúde dos rins, principalmente, indivíduos entre 50 a 70 anos, faixa etária com maior frequência no número de cânceres. Com o diagnóstico precoce, é possível dar início ao tratamento, aumentando as chances de cura.

Tipos de tratamentos para o câncer de rim

O tratamento para o câncer de rim dependerá do estágio da doença. Neste sentido, a importância do diagnóstico precoce nas primeiras fases do câncer está diretamente relacionada as chances de remissão do câncer. Os principais tratamentos, de acordo com o estágio da doença, são:

  • Estágio 1: o tumor tem até 7 cm e está confinado no rim. O tratamento pode ser feito por meio cirúrgico, com a retirada do tumor por nefrectomia radical (remoção do órgão), nefrectomia parcial (remoção de parte do órgão) ou cirurgia laparoscópica. É possível encontrar tratamentos menos invasivos do que os procedimentos cirúrgicos, como é o caso da radiofrequência e a crioterapia.
  • Estágio 2 e 3: o tumor possui mais de 7 cm e permanece confinado no rim (estágio 2) ou já está infiltrado em tecidos vizinhos, linfonodos e veias renais (estágio 3). Nestes casos, o melhor tratamento é a nefrectomia radical com remoção do órgão e outros tecidos afetados.
  • Estágio 4: as células tumorais já se espalharam pela corrente sanguínea e pelos vasos linfáticos, atingindo pulmões, ossos, fígado e linfonodos. É possível o tratamento imunobiológico, quimioterapia e radioterapia.

Importante ressaltar que, diferentemente da maioria dos cânceres, o tumor renal não responde bem ao tratamento com radioterapia e quimioterapia; por isso, eles somente são indicados no estágio 4 da doença. A principal finalidade é reduzir os sintomas do câncer, funcionando como uma medida paliativa, dependendo do estágio do paciente.

Como prevenir o câncer de rim

A maioria dos cânceres é causada por fatores ambientais, embora a genética também contribua para a incidência da enfermidade. O câncer de rim não tem uma origem definida, no entanto, é possível adotar alguns comportamentos que podem prevenir a doença, como, por exemplo:

  • Evitar o tabagismo e o consumo excessivo de álcool;
  • Manter uma dieta equilibrada e saudável;
  • Consumir pelo menos 2 litros de água por dia;
  • Praticar exercícios físicos com regularidade;
  • Ter um controle de seus exames e visitar o médico regularmente.

Para saber mais sobre o câncer de rim e seus tratamentos, conheça o Núcleo de Estudos em Onco-Urologia (NeoUro) área de Urologia Oncológica da Uromed.

 

Material escrito por:
- Urologista - CRM 5179 RQE 9107

Formado em medicina e mestre em ciências médicas pela UFSC, o Dr. Aguinel Bastian Júnior é doutor pela USP e desde sua especialização dedica-se ao estudo e tratamento onco-urológico. É membro da equipe do NeoUro – Núcleo de Estudos em Onco-urologia da Uromed.   Ver Lattes