Artigos

Artigos

Por:
Publicado em 02/12/2019

Praticar esportes contribui com a saúde do homem – mas não basta

Praticar esportes contribui com a saúde do homem – mas não basta

Já não é mais segredo para ninguém: praticar esportes contribui – e muito! – para a nossa saúde. De acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), se a prática de exercícios físicos aumentasse 25% em todo o mundo, mais de 1,3 milhões de mortes precoces poderiam ser evitadas anualmente.

Ouça este conteúdo:

 

O sedentarismo é um dos principais fatores de risco para doenças crônicas, cardíacas, vasculares, cerebrais e, até mesmo, o câncer. Além disso, a prática de atividades físicas também contribui para elevação de neurotransmissores no cérebro, aumentando a produção de endorfinas, diminuindo a tensão muscular e reduzindo o hormônio do estresse.

Para a saúde do homem, os exercícios ajudam na prevenção de doenças cardíacas, como a hipertensão, que pode provocar disfunção erétil, infarto e AVC (Acidente Vascular Cerebral). Portanto, vale a pena se manter ativo e não parar de praticar esportes! 

No entanto, a qualidade de vida não depende apenas de uma rotina de exercícios. Isso é apenas um dos cuidados importantes. Sendo assim, é preciso atenção aos seus hábitos e manter todos os check-ups de saúde em dia.

Quais são os cuidados para a saúde do homem?

Segundo o Ministério da Saúde, cada vez mais pesquisas comprovam que não só a genética é fator preponderante para a saúde do homem, mas também as escolhas e hábitos de vida.  Além de praticar esportes, é fundamental:

  • manter uma alimentação balanceada;
  • não abusar de bebidas alcoólicas, cigarro e drogas;
  • reduzir o consumo de alimentos gordurosos e processados;
  • realizar exames preventivos para identificação precoce de doenças e
  • ficar atento aos sinais do corpo.

O cuidado deve ser diário. Recomenda-se que os homens adotem comportamentos mais atentos quanto à saúde, como a aferição de pressão e acompanhamento das taxas de colesterol e glicoses, que são informações importantes que ajudam a evitar a ocorrência de doenças crônicas como a diabetes e a hipertensão.

Além disso, vale ressaltar que os homens precisam fazer outros testes importantes, especialmente, os relacionados às infecções sexualmente transmissíveis (IST). Entre os exames, destacam-se os testes de HIV, hepatite B (HBsAg) e hepatite C (anti-HCV).

Para os homens com mais de 50 anos, é necessário redobrar os cuidados com os problemas na próstata. Alguns dos sinais que indicam a necessidade de consultar um médico especializado na saúde do homem, como o urologista ou o andrologista, são:

  • dificuldades para urinar; 
  • jato urinário deficiente ou fraco; 
  • desconforto na hora de urinar; 
  • sensação de bexiga cheia ou esvaziamento incompleto.

No Brasil, o câncer de próstata é a segunda doença mais comum entre os homens, perdendo somente pelo câncer de pele não-melanoma. No mundo, é o sexto tipo de câncer mais comum. Os homens também são muito afetados pelo câncer de bexiga e rins. Nestes casos, o urologista oncológico é o responsável pelo diagnóstico e tratamento dos cânceres.

Após os 50 anos, a saúde do homem também é prejudicada pela desaceleração na produção hormonal. Isso significa que o sistema reprodutor envelhece, com perda de massa muscular e densidade óssea. Como consequência, o organismo fica mais suscetível a algumas doenças, o que pode prejudicar a qualidade de vida. Assim, o andrologista analisa e propõe tratamentos para os problemas hormonais masculinos. 

E como melhorar os cuidados com a saúde do homem?

A mudança dos hábitos de vida é a chave para a promoção da saúde do homem. Além de praticar esportes e atividades, físicas, ter uma alimentação balanceada e evitar atividades de risco, é importante ter uma frequência de consultas ao urologista e quebrar o famoso tabu, quando o assunto é ir ao médico.

Um levantamento feito pelo Centro de Referência em Saúde do Homem de São Paulo mostrou que 70% dos homens só procuram um consultório por influência da mulher ou dos filhos. O estudo também informou que mais da metade dos pacientes vai ao médico com doenças em estágio avançado, o que reduz as chances de um tratamento efetivo

Para evitar a ocorrência de enfermidades e iniciar procedimentos para a cura, tratamento e prevenção, é fundamental que os homens adotem o comportamento de ir ao médico, o que também é uma mudança nos hábitos de vida. Os homens brasileiros tendem a viver, em média, 7,2 anos a menos que as mulheres e, muito disso, deve-se à falta da realização de exames e consultas preventivas.

Por esse motivo, é necessário chamar atenção dos homens para o autocuidado. A realização de exame de toque de próstata, além da percepção dos sintomas do corpo, são ações imprescindíveis para melhorar a qualidade de vida e a saúde do homem. Além do mais, pessoas com histórico de câncer de próstata na família devem estar cientes da importância da consulta periódica com os médicos.

Ou seja, mais do que praticar esportes, é preciso praticar a conscientização!

Saiba mais sobre a saúde do homem e confira nossas dicas de saúde urológica seguindo a gente no Facebook e Instagram!

 

Material escrito por:
- Urologista - CRM 4117 RQE 3175

O Dr. Nívio Pascoal é formado em medicina pela UFSC, especialista em urologia e em andrologia. Coordenou o Programa de Residência Médica em Urologia do Hospital Governador Celso Ramos, onde atualmente é urologista. Seus principais interesses são a andrologia, medicina sexual e reprodução humana.