Artigos

Artigos
12 de novembro de 2018

Doenças venéreas: o que é isso?

Doenças venéreas: o que é isso?

Sem dúvida, você já deve ter ouvido falar em doenças venéreas. Esse é um termo popularmente conhecido para se referir às Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs),  por isso elas podem desencadear sérias complicações quando não tratadas a tempo.

Mas você sabe como perceber os sinais de uma doença venérea ou das DST’s? Continue lendo o artigo para saber como identificá-las e tratá-las.

Quais são as principais doenças venéreas?

As doenças venéreas é uma maneira informal de mencionar doenças originadas do contato sexual. Elas correspondem à enfermidades causadas por  vírus, bactérias ou microorganismos que são transmitidos pelas relações sexuais, quando realizadas sem o uso de preservativo pela pessoa infectada.

As principais doenças sexualmente transmissíveis são:

  • sífilis;
  • tricomoníase;
  • aids;
  • clamídia;
  • gonorreia;
  • HPV (vírus do papiloma humano);
  • doença inflamatória pélvica (DIP);
  • linfogranuloma venéreo;
  • HTLV (infecção pelo vírus T-linfotrópico humano);
  • donovanose;
  • cancro mole;
  • hepatites virais;
  • herpes.

Como as doenças venéreas se manifestam?

Embora o termo faz referência a várias doenças diferentes, é possível que muitos dos sintomas entre elas sejam parecidos. Por isso, caso você perceba as seguintes manifestações, procure imediatamente ajuda médica:

Na mulher

Quando os sintomas aparecem nas mulheres, estes podem se manifestar como:

  • corrimento pelo colo do útero e/ou pela vagina;
  • coceira;
  • dor ao urinar;
  • ardência ou desconforto durante a relação sexual;
  • odor forte da região genital;
  • uma ou várias feridas na região genital;
  • bolhas pequenas que podem ser acompanhadas de ínguas na região da virilha.

No homem

Ao se manifestar em homens, os sintomas mais comuns das DSTs podem ser manifestados como:

  • corrimento que sai pelo canal da urina, de odor forte;
  • coceira na região;
  • dor ao urinar;
  • vontade frequente de urinar;
  • dor na parte mais baixa da barriga;
  • dor durante a relação sexual;
  • verrugas genitais ou “crista de galo”, que podem começar pequenas e crescer até se parecer como uma couve-flor.

É preciso ter muita atenção às doenças sexualmente transmissíveis porque, além dos sintomas incômodos, elas podem evoluir para quadros mais graves.

Quais são as consequências das doenças sexualmente transmissíveis?

As consequências da falta de prevenção e tratamento podem levar a situações que vão desde a impotência até o desenvolvimento de câncer. Conheça as consequências que uma doença sexualmente transmissível não tratada pode trazer:

  • caso atinja mulheres grávidas, as doenças venéreas podem levar à malformações do feto ou abortamento;
  • a contaminação por DSTs aumenta as chances da transmissão sexual pelo vírus da Aids (HIV);
  • pode causar infertilidade no homem e na mulher;
  • aumenta as chances de desenvolver câncer de colo do útero e câncer de pênis;
  • quando ocorre inflamação nos órgãos genitais dos homens, por não ter sido tratada, as doenças venéreas podem causar causam impotência sexual;
  • nas mulheres, podem desencadear inflamações sérias nos ovários, trompas e útero, o que pode progredir para uma infecção generalizada e chegar até a morte.

Qual é a melhor maneira de preveni-las?

Algumas medidas importantes, porém simples, são eficazes para prevenir as doenças venéreas. Usar preservativo em todas as relações sexuais, sem exceção, é a principal delas. Outra medida necessária é estar atento ao compartilhamento de agulhas e seringas, assim como ser criterioso ao realizar uma transfusão sanguínea.

Além disso, é fundamental que procure um especialista assim que sentir qualquer sintoma, pois o tratamento responde cada vez melhor, quanto antes for iniciado.

O essencial é estar sempre atento à saúde e fazer consultas regulares, já que muitas DSTs são assintomáticas, o que pode desencadear numa disseminação das doenças sem a consciência de seu portador.

Fontes:

Secretaria de Estado da Saúde do Governo de São Paulo