Artigos

Artigos

Por:
Publicado em 21/01/2016 - Atualizado 07/02/2019

Álcool e cigarro podem causar disfunção erétil? Saiba o que é mito e o que realmente compromete o desempenho sexual

Álcool e cigarro podem causar disfunção erétil? Saiba o que é mito e o que realmente compromete o desempenho sexual

O Estudo da Vida Sexual do Brasileiro (EVSB), conduzido pela psiquiatra Carmita Abdo entre novembro de 2002 e fevereiro de 2003 apontou a prevalência de disfunção erétil em 45,1% dos 2.862 homens de 18 grandes cidades de todas as regiões do país que contribuíram com o Estudo.

O receio de um desempenho sexual insatisfatório assombra os homens em qualquer idade. As imposições da sociedade e consensos equivocados como o de que “homem que é homem nunca falha”, corroboram para a permanência do problema, assim como a falta de conhecimento sobre o que está ou não relacionado às causas do problema. Para dirimir algumas dessas questões, elencamos alguns mitos e verdades acerca da disfunção erétil:

É sintoma de impotência falhar uma vez na relação sexual

Mito. Não é porque o homem teve um, dois ou poucos problemas na relação sexual que ele pode ser considerado impotente. A impotência ou disfunção erétil é diagnosticada após um estudo clínico prolongado para confirmar a existência ou não do problema.

Quanto mais velho o homem fica, maiores são as chances de se tornar impotente

Verdade. Conforme os anos passam, ocorrem alterações nas fibras de colágeno do pênis e na capacidade de irrigação de sangue para o órgão, o que ocasiona perda da qualidade da ereção. A boa notícia é de que isso não é um problema para todos os homens e há tratamento.

Ereção não prolongada ou inconstante não é sintoma de disfunção erétil

Mito. Os homens podem ter diversos problemas de ereção que vão desde uma ereção rápida, até uma ereção na qual a penetração é insuficiente por falta de rigidez. O médico urologista adequa o tratamento para o caso de cada paciente.

Dificuldades de ereção são ocasionadas pela depressão

Verdade. Existem doenças que comprometem a qualidade de eração do homem e a depressão é uma delas. Outros distúrbios que também podem ter influencia negativa na qualidade da ereção são diabetes e hipertensão. Quando não é feito o controle sobre essas doenças, maiores os problemas relacionados a elas.

Hipertensão também causa dificuldade de ereção

Verdade. Qualquer doença que interfere no sistema cardiovascular, como a hipertensão e a diabetes, que são muito comuns entre a população, podem comprometer a ereção do homem. O controle desses fatores colaboram para a diminuição dos problemas de ereção relacionados às doenças.

Bebida e cigarro em excesso estão relacionados à disfunção erétil

Verdade. A ingestão excessiva de álcool ocasionam problemas de ereção em 2/3 dos homens que consomem álcool de forma exagerada. Já o tabagismo afeta a saúde das artérias e acelera a a doença aterosclerotica, fatores de risco importantíssimos para a disfunção erétil.

Vasectomia causa impotência

Mito. A vasectomia não tem influencia na qualidade da ereção dos homens. A vasectomia é apenas uma cirurgia para esterilizar os homens e impedir a liberação de espermatozoides na ejaculação.

Tomar estimulante sexual com frequência, sem prescrição médica, não faz mal

Mito. Qualquer medicamento usado sem orientação médica pode fazer mal. O uso irregular, em que não há prescrição médica, potencializa as chances de desenvolver problemas de saúde ocasionados pelo uso indevido da medicação. Sem contar que é preciso tomar cuidado com as interações medicamentosas. Por exemplo, esses remédios não podem ser usados junto com outros para problemas de coração pelo risco de gerar problemas sérios de saúde.

Disfunção erétil tem cura

Verdade. A correção das causas que ocasionam a disfunção erétil, iniciando pelo controle de algumas doenças, seguindo por mudanças de hábitos de vida como menor consumo do álcool, abandono do tabagismo e controle do peso, podem ter um efeito importante sobre a melhora da ereção. Quando o resultado esperado não é conquistado pela medicação e pela alteração do comportamento, há tratamentos feitos via oral ou por meio de injeções que podem ter impacto positivo sobre a disfunção.

As pílulas estimulantes não são as únicas soluções para a disfunção erétil

Verdade. Quando o organismo masculino não responde mais aos medicamentos a outras possibilidades são as injeções no penis e a cirurgia de prótese peniana. A cirurgia recupera a capacidade de ereção.

Quer saber mais sobre disfunção erétil? Consulte nossa página de perguntas e respostas sobre esse tema e tire suas dúvidas. Mas não deixe de consultar um médico. Afinal, contar com a avaliação e experiência do profissional é sempre o mais adequado para cuidar da saúde da forma correta.

 

Material escrito por:
- Urologista - CRM 9576 RQE 6654

Dr. Jovânio é formado em medicina pela UFPel, é especialista em reprodução humana pela Unifesp. É membro da Sociedade Brasileira de Urologia e Membro da Sociedade Internacional de Medicina Sexual. Entre 2013 e 2018 foi Conselheiro Suplente do CRM-SC. Seus principais interesses são a andrologia, medicina sexual e reprodução humana.