Artigos

Artigos

Por:
Publicado em 27/10/2015 - Atualizado 07/02/2019

Saúde do homem: A partir dos 50 anos o cuidado deve aumentar

Saúde do homem: A partir dos 50 anos o cuidado deve aumentar

O envelhecimento é um processo natural de todo ser humano. Com o passar dos anos, ocorre no organismo a diminuição do número de células. Essas estruturas microscópicas que formam a pele, o sistema digestivo, o sangue, os ossos e o cérebro perdem a capacidade de se renovar. Essa é a causa da perda de massa muscular, densidade óssea e de neurônios nas pessoas de idade.

A produção de hormônios também é desacelerada e os homens sofrem com o envelhecimento do seu sistema reprodutor, assim como as mulheres. A saúde do homem deve ser constantemente avaliada, porém, ao chegar aos 50 anos, alguns cuidados devem ser observados.

Saúde coronária: O coração tende a se tornar menos eficiente à medida que o corpo envelhece, pois é obrigado a trabalhar mais para fazer exatamente as mesmas atividades que fazia. Por consequência, a energia e a resistência humana vão diminuindo quando o coração necessita se esforçar mais.

Para superar essas dificuldade que o organismo começa a enfrentar é necessário manter hábitos saudáveis. Para a saúde do coração, o peso corporal não deve estar muito acima do indicado para a altura, pois a obesidade pode causar uma série de doenças e riscos. Manter controlada as taxas de açúcar e gordura no sangue e controlar a pressão arterial previnem o indivíduo de desenvolver doenças como diabetes e hipertensão.

Saúde renal: Os rins tendem a diminuir o seu tamanho e as suas funções quando o corpo começa a envelhecer. Eles não purificam tão rapidamente os resíduos e os medicamentos que se encontram no organismo, e não ajudam o corpo a lidar de forma tão eficaz com a desidratação. Nesse sentido, é fundamental beber muita água e evitar a ingestão de toxinas, como as alcoólicas e alguns medicamentos desnecessários.

Na alimentação, devem ser incluídos alimentos com licopeno, substância que dá a cor avermelhada ao tomate, melancia, goiaba, entre outros alimentos. É um antioxidante que, quando absorvido pelo organismo, ajuda a impedir e reparar os danos às células e está associado à redução do risco de tumores na próstata. Além disso, mantenha a hidratação com ingestão de líquidos, principalmente água.

Saúde sexual: A partir dos 50 anos de idade, os homens e as mulheres produzem níveis mais baixos de hormônios. Os homens produzem menos espermatozoides e o seu tempo de resposta sexual diminui, apesar do seu impulso sexual ser exatamente igual. Causas orgânicas relacionadas a dificuldades na ereção, como a hipertensão, são mais freqüentes.

Nesta período todo homem deve estar atento à prevenção das doenças da próstata, que costumam não apresentar sintomas, principalmente o câncer em fase inicial. A consulta com um médico Urologista para realização de exames de sangue, como o PSA, e o exame de toque são indispensáveis. Quem teve casos de parentes de primeiro grau (pai ou irmãos) com câncer de próstata deve iniciar esse acompanhamento aos 40 anos. Esse tipo de tumor atinge 50% dos homens com idade avançada e quando diagnosticado precocemente apresenta boas chances de cura.

Culturalmente, homens procuram menos os serviços de saúde que as mulheres. As meninas são incentivadas a cuidarem da saúde íntima desde que passam pela primeira menstruação, já os meninos não têm esse marco que conduz ao hábito, e passam para a idade adulta sem um acompanhamento constante. A falta de contato com um profissional da saúde gera questões de insegurança, o que afasta ainda mais dos consultórios, principalmente quando chega a época do exame físico, como o toque retal.

Vencer o preconceito, dar atenção às escolhas alimentares e manter a prática regular de atividade física são atitudes que ajudarão no envelhecimento saudável. Para saber mais sobre prevenção e tratamento de tumores que podem surgir com o avanço da idade, baixe o ebook “Prevenção para o câncer urológico“, nele você encontra informações relevantes para homens e mulheres.

 

Material escrito por:
- Urologista - CRM 8402 RQE 4270

Formado em medicina pela UFSC, o Dr. Luís Felipe Piovesan é especialista em urologia pela Fundació Puigvert, Barcelona, e doutor em urologia pela USP. É coordenador científico do Hospital Governador Celso Ramos e foi vice-presidente da Sociedade Brasileira de Urologia, secção SC. Seus principais interesses são a urologia oncológica e tumores urológicos.   Ver Lattes